quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012




RELICÁRIO 
(18 de novembro ás 20h SESC Salão Social)

No calor das metrópoles, na desilusão da vida sem  afeto e carinho só espanto.
Espera o menino um destino cair do céu, para minimizar o sofrimento no frio, destino infeliz para uma criança cheia de esperança, atordoada pela fome e pelo cansaço.
Como meninos e meninas, pessoas jogadas a vida pela vida ao “Deus dará”... Refém sem defesa, do tempo, da rua, dos incrédulos, dos maliciosos que os julgam mal.
Seres sem defesa jogados ao alento e ao desamparo social.
Relicário um espetáculo que transmite minuciosamente questões  como a falta de amor,a rua e a prostituição.





A VERDADEIRA HISTORIA DE CINDERELA 
(08 de dezembro ás 20h SESC Salão Social)

Em reino muito distante...á muitos e muitos anos atrás...
Diferente da historia tradicional que todos nós conhecemos,
A verdadeira historia de Cinderela  conta historia de uma bela nada muito bela, desengonçada, divertida e simples, mora com a madrasta e suas irmãs, Micaela e Gabriela.
Uma divertida comedia com um final diferente de tudo que você já viu.





Pluft – O FANTASMINHA
(09 de dezembro ás 18h Casarão do SESC)

Pluft é um fantasminha muito esperto e curioso que vive com a sua mãe no sótão de uma velha casa que pertence ao seu Tio Gerúndio localizada à beira-mar. Tudo iria bem se não fosse a chegada inesperada do terrível pirata Perna-de-Pau, que aparece à caça de um tesouro escondido por lá pertencente ao falecido Capitão Bonança Arco-íris.

Numa aventura repleta de emoção e suspense, nosso fantasminha defenderá seu território, com a ajuda da doce Maribel, neta do Capitão Bonança. Mas para isso, os dois precisarão unir forças juntamente com os intrépidos, porém medrosos marinheiros João, Julião e Sebastião, amigos da menina, pois Maribel e essa turma tem medo de fantasma, enquanto Pluft “morre” de medo de gente.
De forma lírica e envolvente, Maria Clara Machado fala da busca da identidade e dos medos infantis, propondo uma reflexão frente ao temor do desconhecido.


































Vivemos em um mundo onde o individualismo tomou conta do ser humano.
E agora como  ser humano mostro o meu real valor, e com coragem venho agora através da arte mostrar com verdade do que o homem é capaz.Porque sou um ser que é repleto de amor, mas que também é repleto de duvidas,um ser que é feito de lagrimas mas que também carrega seus sorrisos em dias de lutas.







































Nenhum comentário: